Saiba porquê será a Internet do horizonte desenvolvida em MG

Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Receba os artigos diretamente no seu email


Saiba porquê será a Internet do horizonte desenvolvida em MG 1


Talvez você não saiba, mas algumas das principais inovações tecnológicas, saem de Santa Rita do Sapucaí – MG, cidade de 40 milénio habitantes no sul de Minas Gerais considerada o “Vale do Silício” do Brasil. Muitos desses desenvolvimentos e experimentos vem, mais precisamente, do INATEL (Instituto Pátrio de Telecomunicações), um dos principais institutos de tecnologia e engenharia do planeta. Entre os campos de inovação da cidade, um vem se destacando no momento: a evolução da internet.

O INATEL anunciou esta semana resultados impressionantes de testes com internet por VLC (Visible Light Communication), termo técnico que, na prática, denomina a utilização de luz para transmitir dados em subida velocidade. Pesquisadores do Laboratório WOCA (Wireless and Optical Convergent Access) conseguiram transmissões utilizando o padrão pré-estabelecido para as redes de 5ª geração com velocidades de até 20 Gbps para o usuário final.

E mais: Testes da tecnologia 5G são iniciados no Brasil

Aliás, os testes nos laboratórios do INATEL já visam as futuras redes de sexta geração, o 6G, previsto para 2030, com velocidade que pode chegar até 1 Tbps, milhares de vezes mais que a vazão atual de dados para o usuário. Em dezembro, o Inatel por meio do Meio de Referência em Radiocomunicações (CRR) criou o Projeto...

Brasil 6G, bem pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), que estabeleceu parceria com o 6G Flagship Project, da Universidade de Oulu, na Finlândia, líder mundial das pesquisas nas futuras redes de comunicações móveis.

Além da velocidade, a utilização de luz de LED para transmissão de dados traz mais segurança em relação a invasões, gasta menos robustez e pode ser utilizada em ambientes restritivos à transmissão por radiofrequência, porquê aeronaves e hospitais.

Pode parecer cedo para falar de tudo isso, já que mundo afora ainda se fala na implementação do 5G. No entanto, historicamente, as gerações de informação traste surgem de 10 em 10 anos e, se o 5G está sendo implantado em níveis mundiais em 2020, o 6G está previsto para 2030. É um processo longo, já que é necessário muito tempo para que a tecnologia e as funcionalidades sejam desenvolvidas, testadas, ajustadas às necessidades e realidades de cada lugar.

A teoria do INATEL ao se antecipar a tudo isso e anunciar o início do desenvolvimento do 6G no Brasil é colocar o país, pela primeira vez, em condições de não ser um mero consumidor da tecnologia de informação traste mas, sim, de ter protagonismo em um salto tecnológico sem precedentes e fazer do País um provedor e exportador de tecnologia de ponta.



Fonte