Cinco filmes (e um documentário) para saber Spike Lee

Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

Receba os artigos diretamente no seu email


Cinco filmes (e um documentário) para saber Spike Lee 1


Na última terça-feira (7), a morada mais vigiada do Brasil foi palco de uma grande prelecção de um tema que, infelizmente, ainda tem premência de ser discutido e disseminado: o racismo.

Antes de expulsar o concorrente Rodolffo, que, na noite anterior, foi fim de críticas por comentários racistas em relação ao brother João Luiz, o apresentador Tiago Leifert mandou para os integrantes da mansão — e o restante do país — a tarefa de buscar conhecimento sobre a temática.

publicidade

Em seu exposição, que foi apoiando pelo próprio João Luiz e por Camilla de Lucas, outra participante negra da atração, Tiago mencionou a prestígio do diretor Spike Lee e seus filmes no combate ao preconceito.

A luta mundial contra o racismo ainda está longe de terminar. Mas enquanto houver arte e entretenimento, há possibilidades de discutir e disseminar temas importantes para a sociedade.

Por isso, o montou uma lista com 5 filmes e um documentário de Spike Lee para que você seja introduzido à obra do diretor.

Confira 5 filmes e um documentário para saber Spike Lee

‘Ela Quer Tudo’ (1986)

Estreia na direção do diretor vencedor do Oscar, ‘Ela Quer Tudo’ é — de vestimenta — uma ótima introdução para o cinema de Lee. O filme conta a história de Nola Darling, uma jovem do Brooklyn (da era que o bairro estava longe de ser badalado) e suas desventuras amorosas com seus três namorados. A dramédia conta com bons insights e cenas memoráveis sobre relacionamentos modernos, pelo menos para a idade.

Mas com o progressão das discussões sobre corpo, feminismo e assédio sexual, mormente na cultura pop, uma de suas fortes cenas se tornou extremamente problemática — que não será mencionada para evitar spoilers. E até mesmo Spike diz se arrepender da sequência, dando inúmeras entrevistas mencionando-a porquê “um erro”. 

Felizmente, ele conseguiu uma oportunidade de ouro para virar a situação: a história de Nola foi readaptada em formato de série para a Netflix. A produção homônima, que ironicamente também marcou a estreia de Lee em uma narrativa para as telinhas, reverteu a situação de maneira espetacular. 

Assista ao trailer de ‘Ela Quer Tudo’:

Você pode observar ‘Ela Quer Tudo’, tanto o filme porquê a série, na Netflix.

‘Faça A Coisa Certa’ (1989)

Podemos manifestar, sem pestanejar, que ‘Faça A Coisa Certa’ é uma verdadeira obra-prima. Não só da filmografia do diretor, mas porquê do cinema setentrião-americano em si. A história de Sal (interpretado pelo próprio Spike) e a missão de disseminar a cultura afrodescendente em uma pizzaria de bairro foi condecorada em 1999 pela Livraria do Congresso dos EUA porquê “cultural, histórica e esteticamente” significativa. 

O filme é a primeira vez que o cinema do responsável conseguiu gerar um grande rebuliço na pátria ao discutir questões sobre raça e sobre a núcleo de ser preto em um país preconceituoso. Apesar do enorme sucesso de público e sátira e duas indicações ao Oscar, o nome de Spike passou derrotado na categoria de melhor direção daquele ano. 

A revolta foi tão grande que a atriz Kim Bassinger, que foi ao palco da cerimônia apresentar a prêmio para o melhor diretor, deu uma cutucada na Ateneu de Artes e afirmou que lamentava a carência da produção na categoria.

Confira ao trailer de ‘Faça A Coisa Certa’:

Você pode conferir a produção no Telecine Play.

‘Malcolm X’ (1992)

Evidente que a cinebiografia de um dos maiores nomes da resguardo do Nacionalismo Preto nos Estados Unidos não poderia ter...

parado em outras mãos. ‘Malcolm X’ conta a história do líder desde o assassínio do seu pai pela Klu Klux Klan, até sua conversão ao islamismo e o início da luta pela paridade racial. 

‘Malcolm X’ também marcou a primeira indicação de Denzel Washington na categoria de melhor ator no Oscar. Sua figurinista, Ruth E. Carter, também recebeu uma indicação pelo filme, tornando-se a primeira mulher negra da história da premiação a receber a nomeação na categoria.

Cá vai uma curiosidade divertida: na cerimônia de 2019, quando Spike Lee (finalmente) conquistou o seu primeiro Oscar por ‘Infiltrado na Klan’, Ruth E. Carter também recebeu o seu primeiro Oscar. Ela foi premiada por seu trabalho em ‘Pantera Negra’, e se tornou a primeira mulher negra premiada na categoria.

Você pode conferir ‘Malcolm X’ no Prime Video.

Leia também:

‘BlacKkKlansman: Infiltrado na Klan’ (2018)

Sim, acabamos de mencionar a produção, mas ‘Infiltrado na Klan’ pode ser considerada uma introdução para o cinema moderno de Spike. Uma de suas produções mais recentes, a história, também baseada em fatos, conta a missão encabeçada pelo policial preto Ron Stallworth de sabotar uma série de linchamentos e outros crimes de ódio orquestrados por racistas.

‘Infiltrado na Klan’ conta com um elenco estelar: John David Washington (fruto de Denzel Washington na vida real), Adam Driver (o Darth Vader da novidade saga ‘Star Wars’), Topher Grace (o Eric, da série ‘That 70s Show’). O título também conta com valor de produção caríssimo e é uma baita história, vencendo o prêmio da sátira no Festival de Cannes.

Além de invadir o Oscar de melhor roteiro adequado para Lee e seus coautores, ‘Infiltrado na Klan’ também rendeu ao realizador a tão cobiçada — e merecidíssima — indicação na categoria de melhor diretor.

Assista ‘Infiltrado na Klan’ no Prime Video.

‘Destacamento Blood’ (2020)

O filme mais recente do Spike Lee, e o seu primeiro exclusivamente para a Netflix, é ‘Destacamento Blood’. A produção conta a saga de quatro veteranos afro-americanos anos depois lutarem na Guerra do Vietnã. A produção mistura duas temáticas que, inesperadamente, deu evidente: uma saga de façanha e suspense com uma tenra narrativa sobre laços afetivos e fraternidade.

Um grande destaque é a atuação de Chadwick Boseman, que ganhou alguns louros da sátira e chegou muito perto de deslustrar uma indicação na categoria de melhor coadjuvante. O que acabou não acontecendo, pelo menos, Boseman segue porquê o atual predilecto Trailer oficial espargido por documentários. A prova cabal disso é a produção ‘Quatro Meninas – Uma História Real’, da HBO.

O documentário relembra um dos piores crimes raciais da história americana: o massacre de 15 de setembro de 1963, ocasião na qual 4 meninas negras foram assassinadas em uma explosão na igreja 16th Street Baptist de Birmingham, no Alabama.

Com depoimentos incríveis e chocantes, é impossível não se enternecer (e se revoltar) com a produção. Você pode testemunhar ao documentário na HBO Go.

Assista também

  • ‘O Projecto Perfeito’ (2006) – Netflix
  • ‘Oldboy – Dias de Vingança’ (2013) – Telecine Play
  • ‘American Utopia’ (2020) – HBO Go
  • ‘Chiraq’ (2015) – Prime Video
  • ‘A Guloseima Sede de Sangue’ (2014) – Disponível para locação no YouTube
  • ‘Mais e Melhores Blues’ (1990) – Telecine Play
  • ‘Rodney King’ (2017) – Netflix

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso meio!

Experimente o Disney+. Clique cá e Assine agora!





Fonte